Lição 08: A criação: Gênesis como fundamento (parte 1)

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Segundo Trimestre de 2020

Tema geral do trimestre: Como interpretar as Escrituras

Lição 08: A criação: Gênesis como fundamento (parte 1)

Semana: 16 a 22 de maio

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular, sênior, no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone: (55) 3332.4868 WhatsApp : (55)98458.2172

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

Verso para memorizar:No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens” (João 1:1-4). (Em lugar de Verbo, pode ler JESUS.)

Introdução de sábado à tarde

 Nesta e na próxima semana estudaremos sobre o livro do Gênesis, isto é, das origens. Este livro é o ponto de partida de todos os assuntos da Bíblia. Por exemplo, um ponto de partida é o início de tudo, a criação de todas as coisas. Esse início chama-se ‘princípio’, ou seja, quando começou. Portanto, podemos saber que a Terra, a humanidade, e também o Universo não existiram sempre, algum tempo atrás, não se sabe quanto, tudo isso começou por meio da criação. Isso veremos melhor amanhã.

Por hora basta que saibamos que os principais temas da Bíblia estão no Gênesis, a continuam no restante da Bíblia. A lição destacou bastante temas, mas nós destacaremos alguns, os mais importantes. Quais são eles?

A criação do Universo;

A Terra que desde que o Universo foi criado, era sem forma e vazia, como, aliás, são os demais planetas do sistema solar, vazios e desorganizados. A Terra sabemos, ela foi criada há aproximadamente seis mil anos atrás, nem é tanto tempo.

A criação dos seres vivos e da vida vegetal na Terra e da humanidade em forma de duas pessoas. Isso também sabemos pelo Gênesis, tudo aqui foi feito em seis dias, e no sétimo DEUS descansou, abençoou e santificou o dia de sábado.

Foi estabelecida a família, pela união eterna (depois da chegada da morte, até que ela faça a separação) entre um homem e uma mulher. Isso não é uma condenação, pois onde há amor, essa união é simplesmente agradável.

Foi estabelecido, ou melhor, separado o dia de sábado para toda a humanidade, já que no Éden havia apenas o casal inicial. O sábado foi separados dos outros dias anteriores para que o ser humano se lembrasse que DEUS é O Criador. Assim está escrito no próprio mandamento: “Lembra-te … porque em seis dias DEUS fez…”

Foram postas no Jardim do Éden, entre inúmeras outras, duas arvores peculiares, uma era a árvore da vida e a outra do conhecimento do bem mas também do mal. Não eram para comer do fruto desta segunda, porque no dia em que comessem se tornariam mortais.

No Gênesis, após a queda, foi feita uma aliança entre Adão e Eva com DEUS, era o plano da salvação, que foi reafirmado diversas vezes mais adiante. Era a salvação pela graça provida pela cruz. Haveria dois grandes tempos, um antes da cruz, quando a salvação era pela graça vindoura e outro após a cruz, quando a salvação é pela graça que já veio. Em nenhum momento alguém poderia ser salvo pelas obras, pois por elas nos podemos perder, não salvar. A graça é dom de DEUS, as obras são coisas boas ou más que nós fazemos, as obras boas são porque obedecemos a DEUS e as más porque seguimos outro caminho. Isso se deduz facilmente lendo o Gênesis, não precisa muito estudo para chegar a essa conclusão, mas tem muitas informações sobre isso ao longo da Bíblia.

Esses são alguns dos assuntos de suma importância encontrados no Gênesis. Eles são fundamentais para o estudo do restante da Bíblia e fundamentais para se entender definitivamente sobre os seus temas. Vejamos um exemplo só: o sábado não foi dado aos judeus no Sinai, ali ele foi mais uma vez confirmado, ele foi dado à humanidade na semana da criação. E foi estabelecido para que nos lembrássemos que DEUS é O Criador, portanto, também não faz sentido a observância do domingo como dia da lembrança da ressurreição. Ou agora não precisamos mais lembrar do Criador se lembramos da ressurreição?

  1. Primeiro dia: No princípio

Em Gênesis 1:1 DEUS criou o Universo, as galáxias, as estrelas delas, os planetas e muitos outros corpos celestes. Cientistas há que imaginam que o Universo seja de tamanho infinito. Se for realmente assim, então cai por terra a teoria do Big Beng, pois daí teria que haver um limite em algum lugar. Quanto mais potentes os telescópios, mais distante conseguem ver, e nunca alcançam a fronteira do Universo, sempre tem mais. É isso que entendemos que DEUS criou no princípio, portanto, sobre a criação do Universo, temos um versículo na Bíblia, Gênesis 1:1.

Desde que o Universo fora criado, a Terra estava vazia e sem forma, e o ESPÍRITO de DEUS pairava sobre as águas. Como DEUS é onipresente, Ele está em todos os lugares, e estava aqui também. E, se houve um princípio de tudo, é certo que o Universo não tem idade infinita precedente. Então também é certo que, antes da criação, nada havia. Daí surgem perguntas que só saberemos as respostas quando pudermos falar com DEUS. DEUS, a Trindade, viviam sós desde sempre? O que DEUS fazia sozinho durante a eternidade anterior à criação? Há quanto tempo foi esse princípio? Como era o Universo bem no princípio, antes que DEUS criasse seres vivos? Onde Ele criou os primeiros seres vivos? Paremos por aí, há muito para se estudar no futuro, por hora só podemos fazer perguntas, mas não temos as respostas.

E DEUS tem a capacidade de criar do nada, pela força de Seu pensamento e planejamento. Ele é capaz de criar uma diversidade de plantas, de todos os tipos, apenas mandando que elas apareçam. Por isso que Ele é DEUS e infinitamente capaz. Ao criar as árvores frutíferas, Ele não fez como num passe de mágica. Ele planejou, tinha em mente como seria cada fruta, sua cor, tamanho, sabor, odor, casca, época de frutificação, etc. E quantos tipos de sabores diferentes Ele criou! Por exemplo, a banana. Que prática é essa fruta. Colhe-se um cacho inteiro com centenas delas. Para comer, descascar é muito fácil, e ela é macia e praticamente completa em nutrientes. Atletas apreciam muito por causa de conteúdo em potássio. Já a romã é difícil de descascar e dá uma trabalheira para comer. Então, quando temos pressa, comemos uma banana, quando estamos sem o que fazer, comemos uma romã. Os dois frutos são muito gostosos. E a maçã, que tem uma casca crocante e comestível e por dentro é consistente. Cada fruto e cada vegetal tem sua atratividade e sua contribuição nutricional. E DEUS planejou tudo, pensando em nós, na nossa saúde e na nossa vida. Era para ser bom eternamente, mas houve uma interferência por parte de Lúcifer, nossos pais caíram e estragaram tudo, por um tempo.

  • Segunda: Os dias da criação

Atualmente os estudiosos da ciência, principalmente da biologia, filosofia, geologia, arqueologia, etc., acreditam no Evolucionismo, não no Criacionismo. Porque isso? Porque parece muito fácil tudo ter surgido pela criação. Parece uma explicação simplista e as pessoas pensam que o início da Terra e da vida deve ter sido bem mais complexa.

Pois bem, para DEUS tudo é fácil, e para Ele não existe nada difícil. Na realidade, o complexo também existe no Criacionismo, ele fica na mente do Criador. É ali que se encontra a capacidade de planejamento e de fazer surgir o que essa mente quer que surja. A complexidade da natureza está dentro da mente de DEUS, e Ele é capaz de fazer aparecer o que planeja, bem do modo como imaginou. Para falar a verdade, o Criacionismo é até mais complexo que o Evolucionismo, só que essa complexidade está dentro da mente do Criador.

Vamos a outro exemplo, a ressuscitação de mortos. Quando JESUS ressuscitou Lázaro, que ritual complexo Ele fez? Nenhum! Ele simplesmente disse: “Lázaro, vem para fora”. Mas o que precisava ser feito para que Lázaro ressuscitasse estava em sua capacidade mental, assim como estava quando criou Adão e quando criou Eva. Tudo o que é muito complicado Ele resolve e torna, aparentemente simples. É o poder que Ele tem.

DEUS (Trindade) criou por meio de JESUS CRISTO tudo em seis dias. E poderia ter feito em um dia só, ou em um segundo. Mas tinha um propósito para criar em seis dias, mais o sétimo que foi o sábado, para descansar e lembrar do Criador. Ele queria estabelecer a semana de sete dias, criando no último dia o sábado, nele descansando, abençoando e santificando. Por meio desses três ritos Ele criou o sábado. Logo, é errado santificar o domingo porque ele é o primeiro dia da criação; o sábado sucedeu os demais dias, e sendo o último, só nele fazia sentido descansar e abençoar e santificar (separar dos demais). E, antes do sábado Ele criou todas as coisas, mas antes do domingo, Ele ainda não tinha criado nada.

Está bem claro no relato bíblico que foram dias literais, ou, de 24 horas. DEUS, prevendo a distorção do relato bíblico da criação, adicionou após cada dia dizendo “houve tarde e manhã, o primeiro dia, o segundo dia,” etc. Ou seja, Ele declarou que foi um dia de 24 horas, com uma tarde e uma manhã, e que foi um dia, o primeiro, o segundo, o terceiro, etc. Na realidade DEUS não tem medo de explicar assim, pois fica fácil de realizar pesquisas sobre a idade da Terra. Mas os evolucionistas tem medo de sua teoria porque jogam tudo para bilhões de anos atrás, assim fica muito difícil de comprovar ou de desaprovar essa teoria.

  • Terça: O sábado e a criação

Vamos a um raciocínio de algo bem comum entre os cristãos. Afirmam e pregam que a graça substituiu a lei, portanto, esta não necessitamos mais obedecer. Porém, os mesmos que afirmam isso, eles mesmos pregam que devemos guardar a lei. E eles mesmos a obedecem. Já se deu conta disso? Mas tem um detalhe, eles guardam a lei que tem o domingo, não a que tem o sábado. Então a polêmica criada com relação a graça não é a lei, e sim, o sábado. E o curioso é que ninguém está se dando conta que, enquanto combatem a lei ao mesmo tempo seguem a lei, embora seja uma lei alterada. Um bom assunto para se estudar na igreja pela preparação para a defesa do sábado que bem logo teremos de fazer é estudar sobre a graça e a lei, percebendo que quem defende que a graça substituiu a lei, esses mesmos guardam uma lei, embora adulterada pelo menos num mandamento. Também surge a pergunta: é possível algo existir, com vida ou sem vida, mas sem existência de alguma lei? Em tudo tem que ter lei, mais ainda entre os seres racionais e inteligentes.

Pode-se alterar a lei, se DEUS é o Legislador (Tia. 4:12)? O único com direito de fazer alterações na lei é DEUS, coisa que Ele nunca fez nem nunca fará (ver Mateus 5:17 e 18). Aquele que escreveu a lei com seu dedo, teria que ser Ele a reescrevê-la, mais ninguém, e Ele não fez isso. Não consta na Bíblia. Por ventura Ele reescreveu com seu dedo outros mandamentos trocando o sábado pelo domingo? Enquanto existirem os Céus e a Terra estarão valendo os Dez Mandamentos originais, da Bíblia, não do Catecismo, isto é, incluindo o sábado. É bom lembrar também que DEUS jamais descansou, abençoou e santificou o domingo. E Ele nem faria isso porque DEUS não muda (“Mas tu permaneces o mesmo…” (Salmo 102:1). “…Eu sou o mesmo, eu o primeiro, eu também o último” (Isaías 48:12; cf. 41:4) (ver Hebreus 1:11 e 12; Tiago 1:17; Malaquias 3:6). Como teria Ele mudando do sábado para o domingo se Ele é imutável?

Melhor ainda é dizer que, na realidade, quem diz santificar o domingo não santifica dia algum. Deveria usar as mesmas regras para santificar o sábado, mas no domingo assistem futebol, fórmula um, até trabalham, e assim por diante.

O que é fato quanto ao sábado? É que o sábado foi instituído por DEUS na semana da criação. Nessa semana DEUS trabalhou durante seis dias, criando cada dia alguma coisa. Poderia ter feito em menos tempo, por exemplo, em um segundo, mas havia um propósito em criar durante uma semana. E no sábado Ele não fez nada? No sábado Ele trabalhou sim, mas de modo bem diferente, e sabemos o que Ele fez no sábado. Ele estabeleceu o sábado de modo diferente que os outros seis dias. Ele separou o sábado dos outros dias, portanto santificou, e também descansou nesse dia e o abençoou. Ele não abençoou assim nenhum outro dia, e jamais se soube que tenha, depois da cruz, não fez isso com o domingo.

  • Quarta: Criação e casamento

Hoje, não é mais a Bíblia que estabelece como deve ser o casamento, é o Estado. Assim, o poder político determina o que melhor lhe apraz, segundo o desejo popular, porque esse poder corre atrás de votos, não se baseia na verdade bíblica nem na vontade de DEUS. Todo aquele que depende e que corre atrás de votos sempre é suspeito! Por essa razão, tornaram legais casamentos que são contra a própria natureza do ser humano, casando-se entre homens ou entre mulheres, impossibilitando a procriação. DEUS é capaz de criar vida, e os seres humanos, pelo casamento são capazes quase disso. Não podem criar vida, mas podem gerar um novo ser vivo. Esse é o poder do casamento, poder destruído pela ideologia de gênero. Aliás, como devemos saber, por essa ideologia se afirma que não existe apenas o sexo masculino e feminino, mas dezenas de gêneros diferentes, e cada um escolhe o seu gênero, podendo mudar ao longo da vida, ao gosto de cada um. Veja nesse link sobre essa aberração, dizem ser 52 opções de gênero. Pois bem, não iremos nos ater nesse ponto, há profecia a respeito e ela está se cumprindo. E os castigos de DEUS já estão caindo sobre a Terra por causa da iniquidade de bilhões de pessoas.

O Criador fez toda a natureza sobre a Terra em seis dias. No sexto dia Ele chegou ao ponto alto da criação de seres vivos e da organização do planeta. No sétimo dia DEUS fez o que era mais importante, a aliança entre os humanos e O Criador, Ele estabeleceu o sábado. Era uma aliança eterna, pois o ser humano deveria, por meio do sábado em que Ele descansou, abençoou e santificou, sempre lembrar quem é O Criador e quem é criatura. Deve ser assim porque antes do sétimo dia, durante os seis dias anteriores, DEUS criou todas as coisas. No sétimo dia Ele simplesmente criou o sábado, ou seja, Ele estabeleceu esse dia de modo bem diferente dos outros dias, descansou, abençoou e santificou.

Mas no sexto dia Ele, de tudo o que criou quanto a seres vivos, animais e vegetais, finalmente criou o ser humano. Primeiro fez o homem, curvando-Se até o chão e moldando habilmente um boneco de barro. Ele certamente ajuntou o pó do chão e com água, na medida certa, formou um perfeito boneco sem vida. Soprou de Seu próprio fôlego a vida no boneco, e creio que estendeu a mão para ajudar Adão a se levantar. Depois de passear pelo jardim, e Adão dar nomes aos bichos, ele certamente percebeu que todos eram casais, menos ele. Deve ter-se sentido um tanto só. Foi então que DEUS disse que faria para ele uma auxiliadora idônea, isto é, do mesmo nível, portanto, acima dos animais que ele agora já aprendera conhecer. Adão teve que se deitar e foi posto a dormir profundamente, como numa anestesia. DEUS tirou uma costela dele e dela fez a mulher, Eva. Ao acordarem, é de se crer que Adão já aprendera de DEUS a ser gentil, levantou-se e estendeu a mão à sua mulher para ajuda-la a se por em pé. Adão deve ter gostado muito daquela mulher, perfeita e linda.

Assim foi estabelecido o casamento, entre um homem e uma mulher. Os dois deixam seus pais para se unirem para sempre, ou aqui na Terra, até que um deles morra. Por causa do amor, eram para ser cada dia mais felizes, por causa do amor, nunca brigariam. Um viveria para o outro, um estaria sempre disposto a servir o outro, não a querer dominar sobre o outro. Felicidade eterna, ao menos enquanto não pecassem.

O casamento é algo perfeito na perfeição. Na imperfeição não existe nada que funciona com perfeição, por melhor que seja. Assim como nas condições de pecado existe a morte, também existe a imperfeição. Tudo precisa ser consertado ou trocado, nada dura eternamente. E como todos sabemos, existe, nas condições do pecado, a rebeldia e as ideias satânicas, sempre procurando deslustrar a criação e trazer problemas para a humanidade. Mas esse estado de coisas está com os dias contados, bem logo vai terminar. Estamos vendo e sentindo os sinais mundo afora!

  • Quinta: A criação, a queda e a cruz

Na criação tudo era perfeito, eterno e bom. A cada dia que DEUS criava alguma coisa Ele concluía satisfeito que era bom, ou seja, não havia defeito. Quando terminou a criação com o casal, Ele disse que tudo era muito bom.

É evidente que um DEUS perfeito cria obras perfeitas, e tem uma lei perfeita. Interessante que na criação DEUS criou também o sábado, mas não lhes deu Dez Mandamentos como mais tarde. Mas o sábado estava lá, desde o início, assim como o casamento entre homem e mulher. Porque razão será que DEUS não escreveu, já no Éden, os outros nove mandamentos. Nem precisa ler na Bíblia, pelo conhecimento que temos sabemos a resposta. Adão e Eva eram perfeitos, portanto, não adorariam outros deuses nem fariam imagens de escultura e muito menos tomariam o nome de DEUS em vão. Também os seus descendentes honrariam os pais, não matariam, não roubariam, não dariam falso testemunho nem cobiçariam, afinal, ali, ninguém conhecia o mal, só o bem. Aliás, pense nisso, como poderiam matar se nem havia morte? Como poderiam roubar as coisas eram abundantes? Como mentiriam se se amavam uns aos outros? E assim vai. Portanto, eles fariam somente o bem, sempre, eternamente. Daí, porque despertar e mente deles para aquelas coisas que só se fazem quando em condições de pecado?

Era tudo perfeito, mas houve a queda, o casal caiu. Primeiro caiu Eva, logo depois, caiu Adão. Se Adão não tivesse caído, como seria? Acho que não é difícil descobrir. Certamente somente Eva seria expulsa do Éden, Adão ficaria lá. Eles não procriariam, estariam separados. E como fez JESUS pela humanidade, de alguma maneira Ele viria morrer por ela, e a restauraria a Adão. Alguns pensam que Eva morreria e que DEUS faria outra mulher para ele. Eu não iria aceitar isso, iria querer a primeira e fim. E DEUS faria o que com Eva? A deixaria morta para sempre? DEUS não pensa assim, Ele quer devolver a vida, se possível, a todos, não sendo possível, ao menos àqueles que desejam ser salvos. Mas o casal passaria os dias sentindo saudades por algum tempo. E do mesmo modo como ocorreu na cruz, satanás seria derrotado, em favor de uma única pessoa que se tornara mortal. Não há base para essa ideia, mas não me surgiu outra melhor. Uma coisa é certa, Eva não morreria para sempre. Outra que também é lógica, ela não morreria antes de ser salva por JESUS. Se morresse, se perderia para sempre a oportunidade de salvá-la. Mas os dois sentiriam imensa saudades um do outro, esse seria um castigo bem grande para aqueles tempos.

Outra coisa também é certa. DEUS, por amor, havendo pecado, providenciaria sempre, não importa como ocorresse o primeiro pecado, uma saída, pela morte de JESUS, para salvar o pecador. No modo como realmente aconteceu, a morte de JESUS ocorreu na cruz, e essa é a nossa realidade e a nossa salvação. Foi por esse meio que o Céu providenciou a graça para nos perdoar. Para haver pecado é necessário que haja lei, e para haver perdão é necessário que haja graça. A lei não pode perdoar pois ela deixaria de ser lei. Por exemplo, se o Código de Trânsito, que proíbe em determinada estrada que não se ande acima de 80 Km/h, alguém passando disso, se o radar pegar, será multado. Se esse código já tivesse uma cláusula de perdão se o motorista se arrependesse a seguir, o código não seria respeitado nunca, pois todo mundo se arrependeria, ou faria de conta. E todos andariam na velocidade que quisessem. Assim são também os Dez Mandamentos, eles só orientam para a boa conduta, se desobedecidos, eles condenam à morte, nunca perdoam, nem poderiam perdoar. Já a graça é fundamentada na morte de JESUS na cruz, portanto, ali foi pago um preço bem alto exigido pela Lei, para que se estendesse a graça a quem se arrepende, e que fosse perdoado. JESUS pagou o que a Lei exigia, daí surgiu a graça que contém o perdão; o perdão da graça só é possível porque Ele pagou com Sua vida o que nós, pecadores, deveríamos pagar. Ele oferece o perdão a nós, e é isso que chamam graça! Então o que a lei não pode fazer a graça pode, e o que a graça não pode fazer, a lei pode. Ou seja, a graça não pode orientar para uma boa conduta como a lei faz, mas ela perdoa. Já a lei orienta para que todos se amem, mas nunca perdoa. Assim sendo, aqui na Terra, enquanto houver pecadores, precisa da lei e da graça atuando juntos. Aliás, se não houvesse lei também não haveria transgressão e nem pecado, logo, não haveria pecado. Mas isso não quer dizer que as pessoas não furtariam e nem matariam. Fariam isso e coisas piores, mas não seria pecado, nem teria consequências legais. Seria como o Código de Trânsito, se ele não existisse, cada um faria o que quisesse nas estradas, haveria muito mais acidentes e ninguém seria responsabilizado.

Resumindo: Tudo foi criado perfeito. Mas entrou o pecado. Quando ele entrou, DEUS, naquele dia mesmo, providenciou a graça anunciando que JESUS morreria por eles. Esse é o plano da salvação, ou seja, a aliança eterna de DEUS com o homem. Não há nem poderia haver duas alianças, só há uma, pois o que DEUS faz é bem feito, não precisa alterar nada. Se tivesse que alterar a aliança, e a lei, como dizem muitos teólogos, então DEUS não seria perfeito.

  • Resumo e aplicação – Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  • Tema transversal

Qual é o ponto alto do estudo desta semana? É sobre a criação do sábado e do casamento ou família. Isso quanto a criação, mas apareceu no estudo algo que não faz parte da criação, que veio depois da primeira semana, a salvação dos pecadores.

Tudo isso está hoje sendo combatido por satanás, seus agentes e suas igrejas. Dizem assim: a graça substituiu a lei, mas seguem uma lei que santifica o domingo, logo, querem derrubar o sábado, que faz lembrar do Criador. Dizem que o casamento pode ser entre pessoas do mesmo sexo, no entanto, que beleza há nisso? Como podem procriar, portanto, não é natural, nem bíblico. Esses também terão a sua recompensa, gostem ou não. Fiquemos, portanto, focados na parte de quinta-feira, que trata da criação, da queda e da cruz, ou seja, resumindo, do plano da salvação. Creia quem quiser, e não creia quem não quiser, salve-se quem quiser, perca-se quem quiser, eu e minha família seguiremos as instruções bíblicas.

  • Aplicação contextual e problematização

É quase sempre a mesma história, é mais fácil o caminho da salvação, porque é estreito, portanto, mais fácil de não se perder nele. Mas a porta de entrada desse caminho não é tão fácil de encontrar, porque é bem exígua.

  • Informe profético de fatos recentes

Importantes estudiosos da política, como Henry Kissinger, estão dizendo que os Estados Unidos da América devem se apressar em liderar o mundo em direção a confiança por parte do povo. Porque a China está na posição certa para assumir a liderança no planeta. Aliás, a China teve pouco mais de 80 mil infectados e os EUA hoje já tem mais de 400 mil, portanto, ficando para atrás da China, que tem muitos milhões de habitantes a mais. Se os EUA quiserem continuar influenciando o mundo, devem tomar, rápido, uma iniciativa pela recuperação econômica da Europa, da América e da Ásia. A China já está distribuindo tecnologia, máscaras e suprimentos de graça para os países mais pobres, portanto, assumindo a liderança. Da minha parte, por isso, estamos muito próximos do decreto dominical vindo da aliança entre os EUA e a Santa Sé. Ver artigos aqui e aqui.

Na Alemanha, “Palavra do Domingo” conjunta pela 1° vez em 70 anos

Um sinal de unidade e esperança em tempos de pandemia do Coronavírus. Este é o objetivo da iniciativa conjunta entre Igreja Católica e a Igreja Evangélica na Alemanha;

A “Palavra do Domingo” na Solenidade da Páscoa terá um acento excepcionalmente ecumênico neste ano de 2020.

A decisão de o popular programa religioso por ocasião da maior solenidade cristã ser realizado conjuntamente, foi tomada pelo presidente da Conferência Episcopal Alemã, Dom Georg Bätzing, e pelo presidente do Conselho da Igreja Evangélica na Alemanha, o bispo Heinrich Bedford-Strohm, com o objetivo de dar um sinal de unidade e esperança em tempos de pandemia do Coronavírus, que também está atingindo duramente a Alemanha.

Tal cooperação ecumênica não é vista desde o início da “Palavra do Domingo” há 70 anos, o segundo programa mais antigo da TV alemã, cujo primeiro episódio foi ao ar em 8 de maio de 1954.

A transmissão está programada para o próximo sábado (Vigília da Páscoa) às 23h50 (hora local) no Erst (ARD). Normalmente, o programa já pode ser seguido no sábado partir das 18h00, pelo site www.daserste.de/wort e na midiateca ARD.

Dados desta quinta-feira, 9, registram mais de 113 mil casos confirmados para Covid-19 no país, com 2.349 mortes. É o quarto país com maior número de contagiados, depois de Estados Unidos, Espanha e Itália. (Fonte aqui).

Atente como o coronavirus vem despertando para o estudo da Bíblia e também para o Ecumenismo. Uma coisa de um lado, outra de outro lado.

  • Comentário de Ellen G. White

“Deus nos deu Seus mandamentos, não só para neles crermos, mas também para lhes obedecermos. O grande Jeová, depois de haver posto os fundamentos da Terra, de revestir todo o mundo com trajes de beleza, enchê-lo de coisas úteis ao homem – havendo criado todas as maravilhas de Terra e mar – instituiu então o dia do sábado e santificou-o. Deus abençoou e santificou o sétimo dia, porque nele repousou de toda a Sua maravilhosa obra da criação. O sábado foi feito para o homem, e Deus deseja que ele nesse dia deixe o trabalho, como Ele próprio descansou, após os seis dias de trabalho da criação” (Exaltai-O, MM 1992, 139).

  • Conclusão

“Jesus apontou a Seus ouvintes a antiga instituição do casamento, segundo foi ordenada na criação. … Então tiveram origem o casamento e o sábado, instituições gêmeas para a glória de Deus no benefício da humanidade. Então, ao unir o Criador as mãos do santo par em matrimônio, … enunciou a lei do matrimônio para todos os filhos de Adão, até ao fim do tempo. Aquilo que o próprio Pai Eterno declarou bom, era a lei da mais elevada bênção e desenvolvimento para o homem. Como todas as outras boas dádivas de Deus concedidas para a conservação da humanidade, o casamento foi pervertido pelo pecado; mas é o desígnio do evangelho restituir-lhe a pureza e a beleza” (O Maior Discurso de Cristo, 63 e 64).

Assista o comentário clicando aqui.

Lição em espanhol: www.escuela-sabatica.com/comentarios.html

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p (Apoc. 15, 16) Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp Armagedom Os chifres
A igreja verdadeira Como é fácil enganar! As 4 primeiras pragas, enfoque econômico        

Estudado e escrito entre:   3 a 9/4/2020

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.