Lição 10: A Bíblia como História. Incompleto :(

Print Friendly, PDF & Email

Lições da Escola Sabatina Mundial – Estudos do Segundo Trimestre de 2020

Tema geral do trimestre: Como interpretar as Escrituras

Lição 10: A Bíblia como história

Semana: 30 de maio a 5 de junho

Comentário auxiliar elaborado por Sikberto Renaldo Marks, professor titular, sênior, no curso de Administração de Empresas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ (Ijuí – RS)

Este comentário complementa o estudo da lição original

www.cristoembrevevira.com marks@unijui.edu.br – Fone: (55) 3332.4868 WhatsApp : (55)98458.2172

Ijuí – Rio Grande do Sul, Brasil

Verso para memorizar: “Eu Sou O Senhor, teu DEUS, que te tirei da terra do Egito” (Exo. 20:2 e Deut. 5:6).

Introdução de sábado à tarde

Na Bíblia vemos DEUS agindo na história e influenciando no rumo dela. Vemos, aliás, duas forças em ação. Por um lado, DEUS, por outro, satanás. É evidente que um e outro afetam a história. O inimigo sempre tentando destruir o que DEUS criou, aqueles que O seguem e até mesmo os aliados de satanás. Sabemos que ele é um destruidor. Entre satanás e os seus anjos existem conflitos gigantescos, e um odeia o outro, mas se aliam contra o Reino de DEUS. Se aliam contra o que elegeram como inimigo comum.

Mas, por outro lado, DEUS também está em ação. Aqui nesse planeta Ele não deve conduzir as coisas para que nada de mal aconteça, por causa da rebelião de nossa raça. Ele agem em parte, não nos protege de tudo, nem livra o mundo de todos os males vindos de satanás. Se fizesse isso, o mal e o pecado compensariam. Por exemplo, se não envelhecêssemos nem adoecêssemos e nem morrêssemos, até que o pecado seria bom, pois a maioria das pessoas gosta. Os drogados apreciariam a droga pela eternidade. Os ladrões roubariam tudo o tempo todo. E assim por diante. Mas há limites para o mal e DEUS está atento. Ele interfere para que o mal não ultrapasse os limites. Assim agiu no Dilúvio, em Sodoma e Gomorra, com o Egito, e em muitas outras ocasiões que nem foi relatado na Bíblia, como em Erculano e Pompéia. Acima do poder do mal, DEUS está conduzindo a humanidade para o grande clímax, a segunda vinda de JESUS CRISTO e a salvação dos que amaram a DEUS.

Na lição de hoje aparecem algumas ações de DEUS que modificaram a história da humanidade para melhor. Faremos uma lista aqui também. O Dilúvio; e confusão de línguas na construção da torre de Babel e ter espalhado aquele povo pelo planeta; o chamado de Abraão; José indo para o Egito e se tornando ali o governador geral; a libertação do povo do Egito; os Dez Mandamentos no Sinai; a conquista de Canaã; as guerras que Israel venceu ao longo dos anos, mas também as que perdeu por causa da desobediência; o cativeiro babilônico, e assim vai, até a vinda ao mundo de JESUS CRISTO. Esse sim, fez diferença na história da humanidade, foi tão importante que dividiu o calendário em antes e depois de CRISTO. Mas também temos a escolha dos apóstolos que ensinaram e escreveram coisas maravilhosas que afetou milhões de pessoas. DEUS nos deixou, além dos Dez Mandamentos, a Bíblia, revelada por Ele e que  influencia a vida de várias nações e de milhões de pessoas. DEUS deixou as profecias dentro da Bíblia, e por elas muitos tem conhecimento importante sobre os tempos em que vivem. Temos aí a covid19, assustadora por causa das mortes mas até mais, por causa da economia que vai falindo. No entanto, o povo de DEUS, ao menos aqueles que tem fé, estão calmos e tranquilos, sabendo que o fim, ou melhor, um novo início está bem próximo. DEUS está agindo na história da humanidade e nunca perdeu nem o controle e nem o comando, mesmo que deixe satanás agir até um certo ponto. Um exemplo que explica como DEUS permite satanás agir mas não por completo é a história de Jó. Esse homem sofrem nas mãos de satanás, mas não o pôde matar. E depois de tudo, Jó teve tudo em dobro. Assim também foi com os mártires, esses aí nem imaginam as glórias do futuro que os aguarda.

Mas, lembro agora, de um fato que não é de nosso assunto aqui, porém que serve também de exemplo, a morte de JESUS na cruz. Os líderes judaicos entregaram seu Salvador aos romanos para o assassinarem, sem motivo. Os romanos valeram-se de sua estupidez e o humilharam ao pó, como sabemos. E O pregaram na cruz e ali ficou até que morreu. Mas qual foi a glória dos líderes judaicos e dos romanos se esse JESUS ressuscitou apenas três dias depois? O que adiantou que O matassem? E para dar uma bofetada divina na cara dos romanos, foram eles que testemunharam a ressurreição. Quem O matou teve que vê-Lo sair vivo da tumba, e teve que cair no chão com a glória de apenas um anjo, imagine então, como ficarão ao verem a glória de JESUS e de todos os seus anjos! E o mais interessante é que eles cumpriram o plano da salvação, bem como JESUS queria, e DEUS não os mandou fazer isso, eles fizeram por sua maldade. Ou seja, DEUS é inteligente demais para perder o comando dos fatos aqui na Terra, Ele age e muitas vezes até parece que não fez nada, mas logo mais se vê que Ele fez tudo!

  1. Primeiro dia: Davi, Salomão e a monarquia

E se Davi e Salomão não existiram? Toda história do povo de DEUS cairia por terra. E se eles fossem apenas chefes de tribo, não reis de uma grande e poderosa nação. A situação seria a mesma.

Isso não são apenas hipóteses. Muitos arqueólogos estão dizendo que esses dois reis não dirigiram uma nação de grande respeito na época. É disso que a lição de hoje trata, pois se tal fosse verdade, fica difícil crer que Davi, por exemplo, tenha sido um digno ancestral de JESUS, que estaria herdando o trono de um rei inexpressivo.

A lição de hoje apresenta algumas provas de escavações que o reino desses dois reis era de grande porte. Aqui faremos o mesmo, mas com outras provas. Recorremos à palestras do Dr Rodrigo Silva, por exemplo, acesse um aqui, onde ele trata se os reis Davi e Salomão foram mitos ou verdade. São 42 minutos bem proveitosos.

Surgiu nas últimas décadas a arqueologia minimalista. Ela desacredita de tudo que vem da Bíblia o que a arqueologia ainda não descobriu nada por escavações. Ficam como verdadeiro o mínimo do mínimo do texto bíblico como digno de crédito, não aceitando a Bíblia como um livro histórico. Geralmente quando outros arqueólogos encontram alguma prova dando credibilidade ao relato bíblico, os minimalistas mudam seus argumentos.

Do outro lado, temos os arqueólogos que não veem a Bíblia com tal descredito, embora muitos deles nem pertençam a alguma religião. Esses homens e mulheres trabalham duro para encontrar peças utilizadas há milênios atrás, e prova o que essas peças e inscrições revelam, seja o que for.

Em 1993/1994 encontraram a estela (pedra com um texto ou desenho) de Tel Dã (que veja aqui), menciona reis de Judá e a ‘casa de Davi’, conforme expressão encontrada em I Reis 12:19 e Isa. 7:2. Essa pedra está no Museu do Louvre, Paris. É de 900 anos antes de CRISTO. Isso é uma prova irrefutável da existência do rei Davi.

Também encontraram a  Pedra Moabita (veja aqui) ou Estela de Mesa que registra a conquista de Moabe por Omri, Rei de Israel. Após a morte de Acabe, filho de Omri, Mesa revolta-se depois de prestar vassalagem por 40 anos. Esta inscrição completa e confirma o relato bíblico em II Reis 3:4-27. A estela teria sido feita, aproximadamente, por volta de 830 a.C.. Datada de 800 anos antes de CRISTO, foi encontrada em 1868 e encontra-se no Museu do Louvre, em Paris. Como no caso anterior, no link pode ler o que está escrito nessa pedra, bem interessante para quem estuda a Bíblia.

O encontro das cidades de Netaim e Saarim, em escavações, locais datados entre 1050 e 970 aC, bem no tempo de Davi e Salomão, cidades mencionadas em I Crôn. 4:23 e I Sam. 17:52, também provam ao menos parte do relato Bíblico.

O Dr Garfield encontrou sítios arqueológicos com construções de muros duplos enormes, de 4 m de largura, 700 de comprimento, com pedras gigantes de toneladas, em Keiafa ou Kafa. Esses muros eram típicos de Judá.

A Bíblia, se fosse escrita para justificar a existência de um reino pequeno como sendo grande, não apresentaria passagens censuráveis de davi, o homem segundo o coração de DEUS. Ela, por não relatar somente aspectos positivos, tem, portanto credibilidade quanto a relatos para os quais ainda a arqueologia não encontrou provas, e talvez nunca encontre, pois com os milénios, guerras e saques muito se perde. Os historiadores não rejeitam os relatos de que Alexandre o grande não tenha conquistado, por exemplo, um território de 5 milhões de km². E não existem nesse vasto território sequer um monumento ou algo que possa provar que Alexandre esteve lá. Mas quando se trata da Bíblia, os céticos aparecem logo.

E sobre o palácio de Davi? Um grande rei certamente tem um belo palácio, e a Bíblia menciona que Davi tinha um palácio e pelo menos uma linda grande casa. Pois estão escavando e já descobriram vestígios de um  palácio por lá, algo datado do ano 100 aC, do tempo de Davi e Salomão. Também já descobriram três cidades também do tempo de Salomão, Geser, Megido e Hazor, cidades que Salomão fortificou. As fortalezas tinham portas sêxtuplas. Na cidade de Geser também descobriram outro palácio que seria de Davi. Também descobriram em Tel es Safi/Gath, um pedaço de cerâmica uma inscrição do século 10 a 9 aC, mencionando o nome Golias. Pode ser o Golias que Davi matou, ou outro, mas tem esse nome ali. Pelo menos existiam homens com esse nome nos tempos de Davi.

Pois bem, poderia acrescentar muitas outras informações sobre escavações que comprovam relatos bíblicos. Para mim isso nunca foi necessário, porém, como é interessante estudar esses achados arqueológicos que estão confirmando a Bíblia. E por via das dúvidas, serve para firmar a fé de pessoas que tem dúvidas. Quer estudar mais sobre arqueologia? Acesse links de vídeos do Dr. Rodrigo Silva. Veja esses: 1, 2, 3, 4, 5.

  • Segunda: Isaías, Ezequias e Senaqueribe

Senaqueribe vinha destruindo e queimando todas as cidades que encontrava pela frente. É de se crer que ele destruiria até mesmo o Templo de Salomão, pois debochou do DEUS dos judeus. Ele orgulhosamente exaltou seus deuses contra o DEUS verdadeiro, insultando-o com palavras grosseiras.

“Os assírios caracterizaram-se, sobretudo, por serem uma nação de guerreiros, isto é, estavam enquadrados em uma sociedade militarizada, governada por uma aristocracia militar. A elite militar era também aquela que se encarregava da administração do Estado. Muitos historiadores e arqueólogos defendem a tese de que os assírios formaram o primeiro exército organizado do mundo, dispondo de arqueiros, carros de batalha e infantaria, munida de espadas e lanças. Aos vencidos, os soldados assírios empregavam métodos de tortura cruéis, como a mutilação dos órgãos genitais, do nariz e das orelhas. A forma como matavam seus oponentes também não era menos cruel. O empalamento (introdução de uma estaca de madeira no ânus ou no abdome) era uma das práticas mais frequentes utilizadas pelos assírios para matar soldados rivais capturados. A decapitação e a exibição ostensiva das cabeças dos adversários também figuravam entre os procedimentos de guerra dos assírios. Entre os reis mais notórios dos assírios, destacaram-se Assurbanipal II, que reinou de 884 a.C. a 859 a.C., e Assurbanipal (690 a.C a 627 a.C.). Esse último organizou a Biblioteca de Nínive, que continha cerca de 25 mil tabuletas de argila com escrita em caracteres cuneiformes. Assurbanipal foi também o último rei assírio, antes do império sucumbir e a Mesopotâmia ser tomada pelos caldeus” (Recortes feitos da seguinte fonte, aqui).

“Como mensageiros de Deus, saem “à semelhança de relâmpagos” (Ezeq. 1:14), tão deslumbrante é sua glória e tão rápido o seu voo. O anjo que apareceu no túmulo do Salvador, e tinha o rosto “como um relâmpago, e o seu vestido branco como a neve”, fez com que os guardas por medo dele tremessem, e ficassem “como mortos”. Mat. 28:3 e 4. Quando Senaqueribe, o altivo assírio, vituperou a Deus e dEle blasfemou, ameaçando Israel de destruição, “sucedeu pois que naquela mesma noite saiu o anjo do Senhor, e feriu no arraial dos assírios a cento e oitenta e cinco mil deles”. Ali foram destruídos “todos os varões valentes, e os príncipes, e os chefes”, no exército de Senaqueribe. “E este tornou com vergonha de rosto à sua terra.” II Reis 19:35; II Crôn. 32:21” (O grande conflito, 512).

A lição explica que Laquis, e outras cidades e vilas foram cruelmente destruídas pela Assíria. O que disse Senaqueribe ao rei de Israel? “”Quanto a Ezequias, o judaico, ele não se submeteu ao meu jugo. Eu montei cerco em 46 de suas cidades fortificadas e em incontáveis pequenas aldeias; a tudo conquistei usando rampas de acesso que nos colocaram perto das muralhas (…). Eu expulsei 200.150 pessoas, jovens e velhos, homens e mulheres, cavalos, mulas, jumentos, camelos, gado grande e pequeno além da conta, e a tudo considerei como pilhagem de guerra. Ele mesmo eu o fiz prisioneiro em Jerusalém, na sua residência real, como um pássaro numa gaiola. (…) Suas cidades que eu saqueei, eu as tomei de seu país e as dei todas a Motinti, rei de Asdode, a Padi, rei de Eglon, e a Silibel, rei de Gaza. Dessa maneira, eu reduzi seu país, mas ainda aumentei meu tributo”” (Fonte aqui).

De outras coisas que Senaqueribe disse, o que transcrevemos é o pior de tudo. “De todos os deuses das nações que os meus antepassados destruíram, qual deles conseguiu salvar o seu povo de mim? Como então o deus de vocês poderá livrá-los das minhas mãos? 15 Portanto, não deixem Ezequias enganá-los ou iludi-los dessa maneira. Não acreditem nele, pois nenhum deus de qualquer nação ou reino jamais conseguiu livrar o seu povo das minhas mãos ou das mãos de meus antepassados. Muito menos o deus de vocês conseguirá livrá-los das minhas mãos!” (II Crôn. 32 14 e 15). Essa ofensa foi a sentença de derrota do exército da Assíria, que numa só noite, enquanto dormiam, perdeu 185.000 soldados. Pela manhã Senaqueriba não tinha mais exército, e foi embora, envergonhado. Essa derrota ele nunca relatou em seus autos.

Quer estudar mais sobre Senaqueribe e Assíria? Veja nos links a seguir. Sobre Senaqueribe aqui e aqui. Sobre a cidade de Laquis aqui. Arqueologia sobre ataque de Senaqueribe aqui. Sobre o anjo que matou 185.000 soldados Assirios, aqui. Sobre o Império Assírio aqui. Pessoalmente gosto de assistir vídeos, aprende-se muito, e é ilustrado.

  • Terça: Daniel, Nabucodonosor e Babilônia
  • Quarta: O JESUS histórico
  • Quinta: Fé e História
  • Resumo e aplicação – Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:
  • Tema transversal
  • Aplicação contextual e problematização
  • Informe profético de fatos recentes
  • Comentário de Ellen G. White
  • Conclusão

Assista o comentário clicando aqui.

Lição em espanhol: www.escuela-sabatica.com/comentarios.html

Vídeos sobre capítulos proféticos da Bíblia, em linguagem simples
Daniel 2 Daniel 3 Daniel 7 Daniel 8 Daniel 9 Daniel 12 Apoc. 12
Apoc. 13 1ªp Apoc. 13 2ªp Apoc. 14 Pragas 1ª p (Apoc. 15, 16) Pragas 2ªp Armagedom Pragas 3ªp Armagedom Os chifres
A igreja verdadeira Como é fácil enganar! As 4 primeiras pragas, enfoque econômico        

Estudado e escrito entre:   17 a 23/4/2020

Declaração do professor Sikberto R. Marks

O Prof. Sikberto Renaldo Marks orienta-se pelos princípios denominacionais da Igreja Adventista do Sétimo Dia e suas instituições oficiais, crê na condução por parte de CRISTO como o comandante superior da igreja e de Seus servos aqui na Terra. Discorda de todas as publicações, pela internet ou por outros meios, que denigrem a imagem da igreja da Bíblia e em nada contribuem para que pessoas sejam estimuladas ao caminho da salvação. O professor ratifica a sua fé na integralidade da Bíblia como a Palavra de DEUS, e no Espírito de Profecia como um conjunto de orientações seguras à compreensão da vontade de DEUS apresentada por elas. E aceita também a superioridade da Bíblia como a verdade de DEUS e texto acima de todos os demais escritos sobre assuntos religiosos. Entende que há servos sinceros e fiéis de DEUS em todas as igrejas que no final dos tempos se reunirão em um só povo e serão salvos por JESUS em Sua segunda vinda a este mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.